04 outubro 2007

In amores


Conselhos sentimentais sempre são meio autobiográficos. A gente tenta ajudar quem nos pede - ou mesmo quem não pediu - através de nossas experiências e aprendizados. Afinal, são argumentos irrefutáveis, já que eu vivi e pronto, e que podem, de fato, ajudar.

Claro que o que serviu pra mim não serve necessariamente para você. Mas às vezes bate uma identidade impressionante, e a coisa mais idiota que você diz é o que faz sentido para aquela pessoa. A teoria complexa e mirabolante, por sua vez, entrou por um ouvido e saiu pelo outro.

Por isso que o filme "Hitch, Conselheiro Amoroso", comédia romântica do Will Smith que pasou na TV esses dias, é uma farsa. O filme é legal, divertido, tem algumas ótimas cenas, como a mulher tentando desamassar a cara depois de acordar, ou o gordinho dançando. Mas não daria pra comprar esses conselhos. As pessoas mudam muito e em muito pouco tempo para permitir que se comercialize um jeito de entendê-las e dar o que querem.

Mas acho que é justamente por essa razão que gosto de psicologia. Você nunca sabe como o outro vai receber aquilo que você tentou comunicar, mas, mesmo assim, você pode conseguir o resultado final desejado: seja ajudar o amigo pobre coitado a sair da merda, seja conquistar aquela pretendida.

Now you're back onto change the world
Now you're back and I say : go, girl!
Now you're back and you do just fine
So don't resign
Cause after rainy days, the sun will shine

2 Comentários:

Anonymous Iberê disse...

Putz, Paulão. Nunca vou me esquecer das vezes em que eu estava malzão e você segurou a onda! Bons tempos!

[Olhem só quem foi me aconselhar, hehehe!]

Abração fraterno!

8:19 PM  
Blogger Lilian disse...

Até q o paulo é um bom conselheiro...

10:48 PM  

Postar um comentário

Assinar Postar comentários [Atom]

<< Página inicial